Como fiscalizar o uso de EPIs pelos colaboradores?

Alguns trabalhos formais envolvem certos riscos e, justamente por isso, precisam de um controle maior para proteger o trabalhador. Um deles, previsto na legislação brasileira, é o uso de EPIs, os Equipamentos de Proteção Individual, que podem variar muito de acordo com a função exercida.

Quer se resguardar e garantir que seus colaboradores estejam usando esses itens corretamente? Leia a nossa postagem de hoje!

O que é EPI, afinal?

EPI é a sigla para Equipamento de Proteção Individual, ou seja, é todo produto (ou dispositivo) que é usado individualmente pelo trabalhador. O objetivo é protegê-lo contra os riscos que podem ameaçá-lo ou danificar sua saúde.

Os equipamentos devem ser usados sempre que não for possível eliminar os riscos presentes nos ambientes. Nesses casos, a empresa deve oferecer o EPI gratuitamente aos seus colaboradores, em um bom estado de conservação e de funcionamento.

Como fiscalizar o uso?

Não é só isso: a empresa deve fiscalizar o seu uso e garantir que seus colaboradores trabalhem com segurança. Assim, é possível amenizar os riscos trabalhistas e se livrar de muitos problemas. Veja que atitudes você pode tomar:

Fazendo o funcionário assinar o recebimento

Para garantir a segurança da sua empresa, você pode fazer com que cada funcionário assine uma guia confirmando o recebimento do EPI e afirmando que ele estava funcionando perfeitamente. Já existe um documento formal chamado “Ficha de Entrega do EPI” e você pode usar na sua empresa. Assim, você consegue ter algum tipo de prova que isenta você da culpa de algo que possa acontecer, já que você ofereceu o acessório de proteção.

Dando treinamento

Para que ninguém alegue que não sabia usar o EPI que você disponibilizou, sua empresa pode oferecer um treinamento explicando quais são as suas funcionalidades, como ele deve ser usado e a importância de não se esquecer desse item. Você também pode ensinar medidas, como a guarda do objeto e sua conservação, assim não precisa trocar os equipamentos todo ano.

Substituindo-os sempre que forem danificados

Sempre que você perceber que o equipamento tem algum tipo de dano ou está extraviado, comprometendo sua funcionalidade e colocando seu colaborador em risco, troque-o. Não deixe para depois, troque o mais rápido que for possível!

Fiscalizando

Vez ou outra, você pode pedir que algum dos seus colaboradores fiscalize se o uso desses equipamentos está acontecendo da forma correta ou não. Assim, você consegue ter uma noção melhor do engajamento e se precisa criar alguma medida ou não. Tenha sempre em mente que promover e incentivar o uso dos EPIs é responsabilidade da empresa.

Punindo quem não se adéqua

Algumas pessoas não gostam de usar o EPI, alegando que ele traz desconforto e até que compromete o trabalho. Não negocie e convença-os a usarem o EPI, sob pena de advertência, suspensão e, caso se repita, até em demissão por justa causa.

Uma boa dica é abordar esse assunto ainda no processo seletivo, falando sobre a obrigatoriedade do uso. Não se esqueça também que os equipamentos devem seguir as normas do Ministério do Trabalho e Emprego.

Caso você perceba alguma irregularidade, não deixe de comunicar o TEM e alertá-lo sobre as mudanças que devem ser feitas. Atuando dentro da legislação para a sua área, você se livra de muitos desgastes e dores de cabeça, pode acreditar. O uso de EPIs é essencial para a segurança do trabalhador, protegendo sua saúde e alguns riscos de acidente de trabalho.

Ficou com alguma dúvida ou queria algum esclarecimento sobre o assunto? Não deixe de comentar no espaço abaixo, teremos todo o prazer em ajudar você!

Glossário de Impostos para Postos de Gasolina

Leave A Comment